3 de setembro de 2010

Você é capaz de perdoar?


Eu amo tudo que foi
Tudo o que já não é,
A dor que já me não dói, (...)
O que deixou alegria /Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia."

(Fernando Pessoa)

Todos sabemos que é necessário perdoar o que nos é feito ou dito, o que nos magoa ou o que nos faz mal. Porém, ter consciência disso e conseguir fazê-lo já é outra coisa. E mais difícil. Existem pessoas que dizem "eu perdoo, mas não esqueço" e são convictas de que desta forma estão mesmo perdoando. No entanto, perdoar é esquecer*. É nem lembrar mais o mal feito a nós, as tristezas causadas, a dor deixada. E se a lembrança ainda existir, que pelo menos não cause mais dor. 
Só mesmo quando isso tudo já não mais nos afeta é que podemos dizer, verdadeiramente, que perdoamos. Bom mesmo é não guardarmos rancor, tentar não cultivar esse sentimento ruim que é a mágoa, principalmente, porque quem magoa, muitas vezes nem lembra mais que nos magoou e pode até estar muito bem, sem nem lembrar o que fez, enquanto o outro vai guardando por muito tempo as tristezas sentidas, que ficam lá nas lembranças e no coração. O ideal seria não valorizarmos demais essas mágoas, não pensar muito no que machuca, não guardá-las e cultivá-las para que isso não se torne cada vem um mal maior. 
É que temos mesmo a tendência de pensar e remoer o que nos faz sofrer, com uma certa dose de masoquismo. E, dessa forma, nem percebemos que existe tantas coisas boas para se fazer, em que acreditar, e em que depositar nossos melhores pensamentos e sentimentos. Só assim, um dia, é possível esquecer o que não nos faz bem. E outro dia esquecemos outras coisas mais, ocupando nossa mente com pensamentos mais saudáveis e positivos. Aí, sim, esquecendo, estaremos aos poucos perdoando. 
E o tempo, nosso grande companheiro e aliado, vai cuidando de nos ajudar nesse processo. É, pois existem momentos em que, para nossa felicidade chegar, é preciso virar páginas, mudar caminhos, escolher outros horizontes para admirar e buscar objetivos novos. 
Devemos cultivar em nós e em nossa vida a alegria, e pensarmos que tudo é aprendizado, pois se não conhecêssemos as tristezas e os momentos difíceis da vida, não saberíamos valorizar sempre que somos presenteados com momentos intensos de felicidade. Viver é isso. 
O sol está sempre brilhando, mesmo que, temporariamente, as nuvens estejam insistindo em encobrir o belo céu.

Rita Ribeiro
[Sob Licença Creative Commons - Leia e respeite os direitos autorais]

*Leia também os posts relacionados: 
Memórias, emoções e esquecimento, publicado neste blog em 21-05-2009
"Esquecer para ser feliz", publicado em 26/03/2011
"Reinterpretando memórias", publicado em 08/03/2012

12 comentários:

  1. Rita

    Vc diz que perdoar é esquecer.. ai eu nao concordo com vc. As duas coisas sao bem diferentes e por isso se faz tao frequentemente a distinçao, e com razao. Se pode perdoar mas nao significa que esqueceu. Alias tem outra diferença vital entre essas duas opçoes: perdoar é um ato voluntario que escolhemos fazer, mas esquecer nao depende de nossa vontade, faz parte de nosso subconsciente e por mais que tentemos esquecer uma ofensa pode continuar em nossa memoria por muitos anos ou por toda nossa vida. 'E uma lembrança, uma experiencia, um evento em nossa vida, está grudado em nosso fichario mental.

    Entao podemos perdoar e ser sinceros de nosso perdao mas nem por isso esquecemos, nem por isso se apaga a coisa de nossa memoria, e melhor assim ja que faz parte do somatorio de nossas experiencias e do processo de aprender, reagir, mudar, melhorar. Faz parte de nos mesmos.

    Agora pode acontecer que um dia esquecemos de verdade, assim como nos esquecemos de muitas coisas em nossa vida, mas isso vai acontecer de uma maneira natural, espontanea, subconsciente, nao porque nós quisemos isso. E vai acontecer segundo um ritmo natural, nao segundo nosso ritmo artificial.

    O mesmo Jesus perdoou muitas pessoas mas nem por isso esqueceu o mal feito. Alias perdoar a pesar de nao esquecer demonstra a força de nossa capacidade de perdoar mesmo com a lembrança do mal que nos foi feito.

    Tenha um bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ritinha! Adorei o seu post e assim como a Chris não concordo que perdoar é esquecer, mas eu diria que quando perdoamos verdadeiramente,embora lembremos da mágoa que a outra pessoa fez,ela não nos causa mais dor.
    O melhor exemplo de perdão incondicional é o de Deus, mas assim como vc não acho que seja algo fácil de praticar, posto que é divino, é Deus quem planta ele no nosso coração!
    Bjoks

    ResponderExcluir
  3. Oi, Chris,
    Quanto tempo!!!

    Talvez, aqui, tenhamos um problema semântico em torno da palavra 'esquecer'. Será?

    Quando falo em 'perdoar e não esquecer', falo em perdoar e continuar guardando mágoas, tristezas e rancor. Se isso acontece, penso que não houve perdão verdadeiro, sincero.

    Mas esse é apenas o meu ponto de vista.

    Beijo grande!
    E um bom fim de semana pra você também!
    ;*

    ResponderExcluir
  4. "quando perdoamos verdadeiramente,embora lembremos da mágoa que a outra pessoa fez,ela não nos causa mais dor."

    Debby, o esquecimento de que falo é, justamente, aquele que continua causando dor.

    Acredito que vemos a questão da mesma forma.


    Menina, andamos sumidas, não é? =)
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  5. Numa ocasião, onde fui perdoada, senti a Vida voltar a correr nas veias. Foi o maior presente que já recebi e serei eternamente grata.

    O perdão pode operar milagres...

    ResponderExcluir
  6. "senti a Vida voltar a correr nas veias"

    Que lindo isso, Leda!

    Obrigada pela visita e ainda mais pelo comentário.
    Apareça sempre.

    Beijo grande!
    ;*

    ResponderExcluir
  7. Perdoar é um dom que só os fortes tem.

    ResponderExcluir
  8. É, eu concordo. Perdoar realmente é um ato difícil, mas proporcional ao mal causado. E, assim, não impossível.

    Abç

    ResponderExcluir
  9. Perdoar e esquecer,seja lá como encaramos, se determinada situação volta a nos encomodar ,com certeza isso ainda não aconteceu.
    Quando conseguimos perdoar realmente ,podemos até lembrar da situação ou a pessoa em questão ,mas não sinto mais nada, confeso que nos da muito alivio e paz.
    Agora vale a pena investrir nessa"lapidação nossa". Estando bem,tudo fica otimo, e triste ilusão,que isso acaba.Sempre teremos coisas,fatos, situaçãoes para resolver e fechar cada ciclo.E a pessoa mais importante nessa história ,somos noós mesmo,pq esse sentimento está em nós.Que tal fazemos um esforço e nos livrar dele logo.Não vale a pena ficar remoendo magoas,raiva,odio.....odio sim,pq tambem temos esse sentimento camuflado,as vezes,mnas temos.Quanto antes nos libetamos melhor será pra gente,olha só que legal.
    .......Viver e não ter a vergonha de ser feliz,cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz.................rs
    Amo vc.amiga
    '

    ResponderExcluir
  10. Que bonito, Sil. Não perdoar faz mal somente a nós mesmos. Como eu sempre digo, a pessoa que magoa, pode até nem mesmo lembrar-se do que fez e nós ficamos remoendo o acontecido e fazendo um sentimento ruim crescer dentro de nós.

    Como vocês disseram, perdoar é uma atitude libertadora, muito difícil, mas libertadora!

    Beijo enorme, Sil, amo você também!

    (E o nossso café???? hahaha)

    ResponderExcluir
  11. Muito sagaz oque você escreveu..fazer isso é saudável pra "alma"...mais só com muita maturidade pra conseguir recalcar um sentimento muito persistente chamado vingança..e a forma mais rápida de perdoar é se vingar,veja bem não estou falando que é a melhor decisão e sim a mais rápida
    Como nós somos seres ansiosos e imediatistas,perdoar definitivamente não é nada fácil.RÚBIU VILAR MARANHÃO

    ResponderExcluir
  12. Como você mesmo diz e concordo, não é nada fácil perdoar, se não esquecermos o mal feito. E é o esquecer que é o mais demorado e mais difícil.
    Já não penso que a vingança seja uma boa forma de agir, aliás, acho que a vingança só agrava e aumenta um sentimento ruim que permanece dentro de nós.
    Fazer o mal em troca é fazer o mesmo. E dessa forma dificultar ainda mais o esquecimento do mal sofrido. O perdão, mesmo que difícil, liberta, e dá espaço para que coisas novas e boas aconteçam em nossas vidas.
    Apesar de difícil, talvez seja melhor buscar a cada dia, dentro de nós, algo que nos leve ao esquecimento, mudar a sintonia, virar a página de uma situação que já não faz bem a ninguém, não acha?

    Abraços, Rúbiu
    E grata pelas palavras... :)

    ResponderExcluir

E você, o que pensa a respeito? Comente!

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...