Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2008

Equilíbrio é tudo

Equilíbrio emocional é o que precisamos ter constantemente. Sei como é difícil encontrá-lo e mantê-lo, quando nos vemos diante de chuvas, trovoadas e temporais. Nada vemos a não ser o mal que passamos e nem acreditamos nas possíveis saídas.  Estamos sendo castigados? O que fizemos de tão ruim assim? Por que eu?! E, na verdade, não somos os únicos a passar por problemas, mas somos responsáveis por não nos entregarmos à angústia, à dúvida, ao desânimo e à tristeza.  Dentro de nós há uma infinidade de qualidades, de nuances de alegria e humor que afogamos em dor e sofrimento. Descobrir que somos maiores que nossos problemas é a questão mais difícil. Na verdade, não aceitamos os problemas como nos aparecem, não que precisemos cruzar os braços e chorar somente. Mas reconhecermos que estamos numa fase difícil é um caminho para buscar uma solução e não esperar que esta surja, assim, nas nossas mãos. Ver a vida com alegria, sermos flexíveis e não nos desesperarmos é tudo num momen

Quando é mais fácil fugir

Você já se pegou fugindo de situações difíceis? Já desmaiou numa situação de extrema dificuldade por não suportar mais? Já dormiu demais, porque acordar seria ter que enfrentar problemas? Ou não quis ir dormir, porque talvez sonhasse, ou tivesse pesadelos?  Preferiu ficar só, por achar muita gente chata, de conversa igualmente chata? Também chato ficar perto, de entender o papo, de não querer falar o que falam? Já teve vontade de chorar, chorar e chorar, por, sinceramente, não ter forças para enfrentar um enorme problema?  Bom, se você nunca sentiu nada disso, parabéns! Você enfrenta tudo firme e forte, nada o detém. Mas eu tenho cá comigo que todos nós, um dia, passamos fases difíceis, aquelas que levam semanas, meses, muitos meses... Não importa quanto!  E em algum momento ruim, buscamos uma forma de sair pela tangente, de parecermos transparentes, de não querermos que nos vejam ou não querermos ver ninguém. De também não querermos resolver nada, e deixarmos tudo para

Tristeza... Felicidade, quem sabe?!

O que é tristeza e o que é felicidade? Só sabe o que é aquele que morre um pouco e vai nascendo todo dia um pouquinho.  Consegue respirar, ficar mais leve, mas não muito tempo; lembranças do seu íntimo lhe invadem, e ele não se sabe mais feliz. Tenta, levanta e pensa.  Se afirma entender, mas (que pretensão!) só consegue por alguns momentos. No entanto, são esses tais momentos, esses em que ele respira, é, ele respira luz, beleza e vê a si próprio como um ser capaz. Mas não é muito forte, volta a esquecer de si mesmo e fica lá escondido. No fundo, sabe que é dentro dele que pode imprimir grande alegria ou uma grande tristeza. Também sabe que toda a felicidade, bem, não é agora que vai conhecer. Mas se souber bem usar as armas que tem, pode nascer muitas vezes, sorrir, imprimir pequenas alegrias em si mesmo, a fim de passar ileso, quando seu ser insistir que ele não pode, não quer e não tem direito de ser feliz.  Ainda não sabe o que é a responsabilidade de se vi

Momento único que vejo

Durante uma conversa com um amigo, contei a ele a vontade que tenho de sair por aí fotografando. Quando ando pelas ruas da cidade, tenho o costume de observar os prédios, as árvores nas praças que, aliás, estão lá, lindas e resistentes, em meio a todo concreto da cidade grande.  Não que as construções não sejam belas, ao contrário. Vejo prédios antigos, casas do tempo dos barões do café, que, infelizmente, hoje viraram escritórios de advocacia, bancos, lojas de carros importados ou seguradoras. É uma pena, mas mesmo assim, são belos.  Observo a cidade arborizada, praças com árvores também antigas, palmeiras imperiais magníficas, tão altas quanto muitos prédios. E quando ando observando tanta beleza, meus olhos "fotografam" aquilo que eu vejo e acho lindo.  Vou a uma farmácia no centro da cidade, e lá de dentro, de repente, vejo uma rua que, em linha reta, inicia com prédios antigos que ainda hoje estão lá, arredondados, baixos e muito bonitos. Mais abaixo, na mes