21 de novembro de 2010

Cadê meu celular?


Se por algum motivo tivéssemos que passar uma semana sem nosso celular, como seria? O que será que você pensou? Bom, para alguns acredito que seria um sossego, pois o celular nos encontra em qualquer lugar e, para quem trabalha com um, não há descanso. E não adianta desligar - ele vai tocar (e tem a caixa postal!). 
No entanto, mesmo que não precisemos dele para o trabalho, quantas vezes não houve a necessidade de avisar alguém sobre um incidente, um atraso, pedir uma ajuda ou aguardar um chamado? Sim, e se furar o pneu? E acabar a gasolina? E perdermos a hora? E se..., se..., se...? É, o celular é tudo nessas horas e em muitas outras. Conclusão: ele é hoje muito importante para nós. Disso não há dúvida. 
Eu, particularmente, uso o meu como um telefone somente, até mando torpedos, tiro fotos, mas confesso, nem música ouço. Vejo tanta gente ouvindo música ou mandando mensagens para sites de relacionamentos, conversando na internet, guiando-se com o GPS (útil demais, diga-se de passagem). Enfim, hoje existe uma infinidade de serviços oferecidos através de um celular, ali na nossa mão! 
Concordo que, como meio de comunicação e pela praticidade oferecida, ele está aí pra não nos deixar, porém, isso tudo acompanha tarifas altíssimas, planos caríssimos, os quais você é obrigado a adquirir, quando gosta daquele celular lindo e top de linha. É, pagamos um preço pelo que nos facilita a vida. Aliás como tantas outras coisas que poderiam ser mais acessíveis, e não são. 
E antes de voltar àquela minha pergunta, faço outra. Como vivíamos sem um celular tempos atrás? Pelo que me lembro, eu vivia bem e feliz. Não sei se chega a ser ingenuidade meu questionamento, pois vivemos outros tempos, mas é certo que o homem é quem cria exigências e necessidades para o próprio homem. E fica a sensação de sempre estarmos correndo atrás do tempo, com urgência e pressa. Será que estamos vivendo um tempo em que ficar só, no silêncio, incomoda? Talvez. Mas esse já é um outro assunto... Consumo, necessidade, companhia, segurança, facilidades - tudo tem seu lado bom e ruim, e o celular que hoje representa tudo isso, também, é claro. E estamos aí, querendo ou não, seguindo a vida em meio ao que ela vai nos oferecendo em termos de tecnologia. E isso não tem volta. 
Agora, voltando à primeira pergunta que fiz, eu arrisco dizer que não ter o celular ali do lado, durante uma semana, próximo dos meus olhos seria muito estranho, haveria um certo vazio. Não sei bem... 
Hoje, o celular é parte da nossa rotina, da nossa vida, mesmo para quem, como eu, que como dizia... Ah! Espera aí, espera um pouco, que a bateria do meu celular está acabando!

2 comentários:

  1. Falei essa semana ,para minha mãe ,para que meu pai ande com um celular.Ele odeia.Para nós uma maravilha saber sempre por onde ele está.Acredito que não tem como não seguir o desenvolvimento,mesmo sendo um consumo exagerado,acabamos por entrar nele.
    Agora penso que o equilibrio é não fazer dele seu amigo, seu companheiro, se isolando do mundo e do contato humano.É simplesmente mais um meio de comunicação.Dá pra ficar sem ele,mas?????????
    Quem quer ficar sem ele??????????
    Possivel,mas dificil.............

    ResponderExcluir
  2. É exatamente isso. Você disse tudo. Não podemos negar que seja muito útil, mas é importante sempre haver equilíbrio.

    Adorei encontrar seu comentário.
    Volte sempre.
    Beijos, Sil!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

E você, o que pensa a respeito? Comente!

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...