14 de maio de 2008

O olhar para dentro de nós


Li um texto em que propunha a autora que todas as pessoas deveriam buscar dentro de si um "projeto oculto", ou seja, aquela mudança que nos faria mais felizes, e que afirma, está dentro de nós. Só falta ir ao encontro dele. 
De fato, todos nós passamos a vida fazendo buscas, cada um a sua, ou cada um vários tipos de busca.
Uns buscam estabilidade financeira ou realização profissional, e um dia, sentem que falta algo. O que ficou para trás? 
Também tem aqueles que preferem ter a convivência de suas famílias, e acabam abrindo mão de algumas lutas, ou alguns sonhos. E também chega um dia... O que eu deixei de realizar? 
Todos nós escolhemos um camimho, e vamos seguindo, seguindo e seguindo. Quando enxergamos uma bifurcação (ou várias, durante a vida!), o que achamos ser nosso livre-arbítrio fazendo-nos escolher o lado a seguir, nem sempre é, pois essa escolha sempre vem condicionada a algum fator que sempre nos definirá a escolha, queiramos ou não. 
Não se pode escolher tão livremente outra carreira aquele que precisa do seu salário certo; não pode escolher a busca por novos projetos quem tem uma família que o requisita constantemente. Não pode ir atrás de sonhos quem tem alguém como dependente, cuja saúde necessite constantes cuidados. Quem já não viu tantas vidas se passando dessa maneira? 
É necessário que nos libertemos dessas angústias que acumulamos, quando nos dizem que deixamos de realizar muitas coisas. 
E pergunto: o que já realizamos de bom? Será que nada? Impossível! Não podemos (como diz o velho clichê) abraçar o mundo com as mãos. Nem sempre podemos alcançar tudo o que queremos e quando queremos. 
A grande busca, aquela da qual todos nós temos necessidade é a "interior". É a busca pelo entendimento de quem somos. É o olhar para dentro de nós mesmos. É tentar encontrar as respostas de por que somos o que somos e, acima de tudo, entender que podemos crescer e sermos pessoas melhores. 
A busca é nossa e vem de dentro e não do que nos é exterior. Recriando-nos, e recomeçando interiormente a cada minuto, talvez consigamos uma mudança maior, aquela que nos fará entender como ser feliz, hoje, onde estamos, com quem estamos e com o que conseguimos construir até então. 
A partir daí, todas as nossas lutas terão mais sentido. E veremos que ser feliz pode ser mais fácil do que imaginamos.

3 comentários:

  1. nao olho pra dentro de mim nao. é um buraco negro, rs.
    e vc sabia, rita, que tem uma visao em psicologia que diz que olhar pro interior é uma furada?
    mas seria tao demorado te explicar aqui.
    tenho aqui uma pequena lista de textos de um amigo da psicologia, o qual, talvez, possa lhe ajudar nessa pesquisa.
    os textos dele sao leves, informativos e divertidos.
    boa leitura!

    a. facioli

    ResponderExcluir
  2. ah, esqueci do link:

    http://olharbeheca.blogspot.com/#uds-search-results

    ResponderExcluir
  3. Adriano, ainda não li todos, nem deu tempo, mas do que li, gostei muito.
    http://olharbeheca.blogspot.com/2011/05/o-eu-interior-crianca-interior-deusa.html

    Não discordei, não. rs
    É preciso saber dos nossos comportamentos 'reprimidos e não exteriorizados'. E que lá estão as motivações para muitos de nossos atos. E que muitas vezes desconhecemos. Só tentando descobrir tudo isso é que posso entender um pouco mais de mim.
    Estou errada?

    Gostei do blog, vou ler com calma. Mas também queria saber o que você pensa...rsrs

    Beijos! Obrigada pela dica. ;)

    ResponderExcluir

E você, o que pensa a respeito? Comente!

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...