5 de abril de 2008

A tristeza necessária

Quem ainda não se pegou, um dia, muito triste, sem nem saber por quê? Todo mundo, claro. Essa tristeza faz parte de nossas vidas. Melancolia, vontade de não estar aqui, sem também saber onde estar... E por que ficamos tristes e melancólicos? Como saber? 
É claro que felicidade constante não existe, portanto entre momentos de felicidade temos momentos em que algo nos dói inexplicavelmente. Se fôssemos felizes sempre não aprenderíamos nada nem sobre nós (esses seres "complicadinhos" que somos) nem sobre o mundo, a vida e tudo mais que encontramos a nossa volta. 
Quando estamos infelizes temos a oportunidade de refletir a respeito do fato que nos entristece, buscamos respostas para nossas dúvidas, buscamos soluções para não repetir nossos erros. E, talvez seja essa a grande busca, o conhecimento de nós mesmos para vivermos melhor. 
E por que esse conhecimento precisa vir somente com a tristeza? É como o mecanismo do medo e da dor física que existem justamente para que sobrevivamos. Por ter medo não me jogo da ponte, e a dor no meu estômago acaba me avisando de que algo não está bem com minha saúde. Então posso ver que a melancolia, essa tristeza que nos arrebata, é também algo que nos chama para mudanças. Logo, ela é uma condição humana. E necessária, sim, pois nos faz um bem. 
Parece até estranho dizer isso, talvez porque estejamos vivendo uma época em que somos obrigados a ser felizes, bonitos, magros e cheios de saúde... E sofremos por isso... Paradoxalmente, somos infelizes por causa da felicidade que buscamos. 
Mas que felicidade é essa? Vivemos essa época do "ser feliz a qualquer custo", mas a felicidade é mesmo efêmera, portanto, melhor mesmo é cuidar de nossas tristezas naturalmente, sem sentir culpa por estarmos tristes. E que, acima de tudo, encontremos nosso caminho para nos sentirmos melhores, em paz, e vivendo os pequenos prazeres que a vida nos oferece. 
Como a felicidade, tristeza também tem fim. Tentar descobrir uma forma mais leve para passar por esses ciclos, ora de alegria ora de tristeza, talvez seja a fórmula para se viver bem. 
Ontem fui dormir muito, muito triste, e até sei o porquê... Acordei hoje em busca de ânimo e o encontrei. Não encontrei soluções ou grandes respostas, mas passei muito bem o meu dia, olhando para frente, otimista com o amanhã. 
Meu pensamento me leva... Meu coração também.

2 comentários:

  1. Li huma vez em Machado de Assis que o segredo da felicidade são as botas apertadas... e, pensando bem, acabei concordando plenamente com o mestre. Quer ser feliz em sua plenitude? Calce botas apertadas e enfrente o caminho... depois experimente a suprema felicidade de poder tirá-las.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  2. Lendo posts mais antigos encontrei este seu comentário muito interessante. Gostei.

    A vida é exatamente assim, Vlad.

    Beijo grande!
    ;*

    ResponderExcluir

E você, o que pensa a respeito? Comente!

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...